Alerta de Notícias:
Platinum Equity Adquire a Solenis da Clayton, Dubilier & Rice
Fechar 686C6711-FB74-47F4-AFEE-14D0F9C09B39

Alinhar a estratégia de sustentabilidade à voz do cliente

A Solenis iniciou, em 2020, um projeto de pesquisa para estudar como nossos clientes definiram suas metas de sustentabilidade. Este blog apresenta as nossas principais descobertas.

Por: Richard Brooks | quinta-feira, 8 de julho de 2021 | Tempo de leitura: 6 minutos

Nas últimas duas décadas, as empresas em praticamente todos os setores perceberam a importância de desenvolver estratégias de sustentabilidade que abordem a maneira como os principais problemas ambientais, sociais e de governança (ESG) são gerenciados. Muitas vezes, e cheios de boas intenções, esses negócios procuram desenvolver suas estratégias, avaliar seus próprios processos e explorar seus próprios talentos quanto a ideias e soluções. 

Embora essa autoavaliação seja importante, é igualmente importante olhar para fora, de forma a alinhar iniciativas de sustentabilidade corporativa com as de partes interessadas externas, incluindo os clientes. Na verdade, quando a sustentabilidade é bem feita, cria um cenário em que todos se beneficiam: o provedor de soluções, os clientes do provedor e a comunidade mais ampla. 

Esse foi um fator crítico para a Solenis quando nós decidimos   incorporar a sustentabilidade ao nosso negócio, com mais rigor, transparência e responsabilidade. Para fazer isso direito, para fazer isso de forma correta, sabíamos que precisávamos levar em conta as vozes de nossos clientes ao avançar em nossa agenda de sustentabilidade. Em  2020, a Solenis iniciou um projeto de pesquisa para estudar como as iniciativas de sustentabilidade estavam afetando os setores que atendemos. Especificamente, estávamos interessados em saber como nossos clientes definiram seus objetivos de sustentabilidade, como eles mediram seu desempenho e como traduziam a sustentabilidade em valor financeiro. 

Neste artigo, analisaremos as descobertas referentes à primeira pergunta - sobre como os clientes definem suas metas de sustentabilidade.  Os artigos subsequentes do blog serão focados em métricas de desempenho, no valor financeiro dos investimentos em sustentabilidade e, por fim, em como os produtos e serviços da Solenis  podem estar mais alinhados com as necessidades de sustentabilidade do cliente. 

Resultados da pesquisa 

Para nossa pesquisa, a Solenis analisou um total de 21 empresas, 13 das quais produzem embalagens e papéis especiais, quatro das quais produzem papel e toalhas tissue e quatro delas produzem ambos. Avaliamos mensagens de sustentabilidade em seus sites, revisamos relatórios de sustentabilidade se eles estivessem disponíveis e analisamos todas as metas e objetivos de sustentabilidade publicados. Também realizamos entrevistas com líderes de sustentabilidade nessas empresas para coletar dados qualitativos sobre seus sucessos, desafios e melhores práticas. 

Abaixo estão descritos alguns destaques da pesquisa. 

Estruturas Estabelecidas 

A maioria de nossos clientes e concorrentes recorreu a estruturas estabelecidas para proporcionar estrutura e credibilidade aos seus esforços de sustentabilidade. Por exemplo, os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas (ODS da ONU) se tornaram importantes para as empresas alinharem suas estratégias de sustentabilidade com os objetivos de uma sociedade global melhor. Estabelecidos em 2015, os ODSs da ONU foram criados com base nos Objetivos do Milênio de 2000, que foram concebidos para reduzir a pobreza extrema até 2015. Os dezessete ODSs cobrem uma ampla gama de aspectos que afetam a sustentabilidade e atuam como um elemento de alinhamento para empresas, governos e organizações sem fins lucrativos em todo o mundo para criar políticas e melhores práticas usando um conjunto comum de metas. 

Prioridades da Indústria 

Nossa pesquisa também identificou seis prioridades na indústria. Essas seis prioridades, que são mapeadas em um ou mais dos ODSs da  ONU, foram construídas com base no conhecimento das tendências de sustentabilidade em toda a indústria, assim como nas normas estabelecidas pelo Conselho de Normas de Sustentabilidade Contábil (SASB) , uma organização independente sem fins lucrativos que define normas para orientar a divulgação de informações de sustentabilidade que sejam financeiramente relevantes pelas empresas aos seus investidores.  

Cada uma dessas prioridades está descrita em detalhes abaixo. 

  1. Uso e Reciclagem de Água - Conforme definido nos Padrões de Sustentabilidade SASB, as empresas podem reciclar a água de forma econômica, melhorar as técnicas de produção para reduzir a intensidade de uso da água e garantir a conformidade com as regulamentações sobre efluentes de água. A redução do uso e do consumo de água por meio do aumento da eficiência e de outras estratégias de gerenciamento de água pode levar a custos operacionais mais baixos ao longo do tempo e pode mitigar os impactos financeiros das regulamentações, a escassez de abastecimento de água e os problemas nas operações que são relacionados com a comunidade. 
  2. Mudança Climática -  A mudança climática está se tornando uma grande ameaça às empresas, à segurança nacional e à segurança global. De acordo com uma pesquisa relatada pela Thomson Reuters Foundation, mais da metade dos entrevistados acreditam que as mudanças climáticas são uma "ameaça importante", e essa crença continua a aumentar à medida que as cadeias de suprimentos, a produtividade humana e a inovação são colocadas em risco.  
  3. Uso de Energia e Eficiência Energética  - A forma como uma empresa gerencia sua eficiência energética, sua dependência de diferentes tipos de energia e os riscos de sustentabilidade associados, e sua capacidade de acessar fontes de energia alternativas, provavelmente, mitigará o impacto da variabilidade do custo de energia.  
  4. Resíduos - As estratégias de gestão de resíduos incluem, sempre que for possível, redução na geração, tratamento e descarte eficazes, reciclagem e recuperação. Tais atividades, ao mesmo tempo que exigem investimentos iniciais ou custos operacionais, podem diminuir os custos de longo prazo das empresas e mitigar o risco de responsabilidades de remediação ou penalidades regulatórias.  
  5. Poluição  -  Empresas que podem reduzir de forma econômica as emissões atmosféricas podem melhorar a eficiência operacional, se beneficiar de custos mais baixos e mitigar riscos regulatórios. Por exemplo, no segmento de   celulose  e papel as empresas podem se beneficiar da otimização do uso de fibras recicladas para equilibrar suas vantagens e desvantagens ambientais e econômicas. As empresas podem reduzir os poluentes no processo de produção de celulose usando o tratamento secundário de água, precipitadores eletrostáticos e depuradores.  
  6. Tecnologia  -  As empresas que usam tecnologia inovadora para melhorar processos e se diferenciar da concorrência também podem melhorar o desempenho financeiro e aumentar o valor da marca. Embora a SASB não cite nenhuma métrica quantitativa para medir os impactos tecnológicos, ela oferece metas qualitativas sobre como os avanços tecnológicos poderiam ser usados, incluindo: o uso de tecnologias que proporcionam o consumo reduzido e aumento na reciclagem de água; o uso de ferramentas e tecnologias para analisar o uso da água, o risco e as oportunidades; e estratégias de longo prazo que incluem redesenhos de processos e inovações tecnológicas que reduzem a retirada de água doce. 
Classificações 

Finalmente, nossa pesquisa indicou que muitos de nossos clientes têm altas classificações ou envolvimento em outras iniciativas de sustentabilidade, como EcoVadis, Together for Sustainability, Ellen MacArthur Foundation, a iniciativa Science Based Targets, o Global Compact da ONU e o CDP, entre outros. Dado que a sustentabilidade está cada vez mais em foco na economia global, os sistemas de classificação como a EcoVadis estão se tornando medidas cruciais para os clientes avaliarem os fornecedores. A Solenis, por exemplo, recebeu o status ouro da EcoVadis em 2019 e, novamente, em 2021, uma honraria reservada para as cinco melhores empresas classificadas.  

Blog-EcoVadis-Medal-580x340.jpg

Uma Taxonomia Viável 

Com base nessa pesquisa, a Solenis chegou a um sistema que mapeia efetivamente sua estratégia de ESG em prioridades mais significativas para nossa indústria e nossos clientes. O diagrama abaixo mostra essa taxonomia, que alinha as seis prioridades identificadas com os ODSs da ONU e estabelece a EcoVadis como um sistema de classificação confiável para demonstrar o desempenho. Observe que, embora todos os Objetivos sejam essenciais, certos Objetivos - como Água Limpa e Saneamento, Consumo Responsável e Produção, e Ação Climática são mais destacados como metas prioritárias de desenvolvimento sustentável para a Solenis como fornecedora de produtos químicos para operações de uso intensivo de água. 

Blog-Sustainability-Taxonomy-580x340.jpg

O importante aqui não é a taxonomia per se, mas como ela foi construída, firmemente em uma base de dados do cliente e da indústria. Isso garante que não construímos uma estratégia de sustentabilidade para satisfazer nossas próprias necessidades internas, mas sim uma que satisfaça as necessidades dos negócios que atendemos. Na verdade, essa é a promessa inerente em nossa missão, que é  nos empenharmos em ser o fornecedor mais confiável de cada cliente, resolvendo problemas com a experiência, a tecnologia e as pessoas certas. 

Este é a primeira postagem no blog de uma série focada em como a Solenis se preparou para avançar sua estratégia de sustentabilidade. Em nossa próxima postagem, exploraremos como avaliamos nossas ofertas de produtos e serviços para estarmos mais alinhados com a sustentabilidade. 

Richard Brooks

Diretor Global de Marketing - Embalagem para o Consumidor

Richard ingressou na Solenis em 2017, após uma carreira de 35 anos na DuPont e Sonoco. Ele tem uma grande paixão por inovação e crescimento colaborativo e gosta de trabalhar com equipes multifuncionais globais para oferecer soluções sustentáveis em todo o mundo.